Assuntos de Goiás TV

domingo, 15 de dezembro de 2013

Estudante de 19 anos é encontrada morta em fosso de elevador da USP

Bruna Barbosa Lima e amigos saíram de uma festa e foram a um prédio em construção do campus, onde ela caiu de uma altura de aproximadamente três andares

Uma estudante foi achada morta, na madrugada deste domingo (15), no fosso de um elevador do prédio anexo ao Paço das Artes, no campus da Univeridade de São Paulo (USP), zona oeste de São Paulo. Bruna Barbosa Lima, de 19 anos, morreu, por volta das 4h15, após cair de de um altura de aproximadamente três andares.


Segundo testemunhas, ela e outros amigos estavam saindo de uma festa quando resolveram ir até o local, que está em construção, para esperar o "tempo passar".
Leia mais: Estudante de 19 anos é encontrada morta em fosso de elevador da USP - São Paulo - iG

sábado, 7 de dezembro de 2013

Polícia tenta ouvir Valério e Delúbio na Papuda sobre desdobramentos de mensalão

Em 24 de setembro de 2012, Marcos Valério fez acusações a procuradores da República que não eram alvo da ação penal do mensalão. Entre essas acusações estava a de que o dinheiro do mensalão serviu para pagar despesas pessoais de Lula. Sobre o Mercantil, Marcos Valério disse que Armando Monteiro, então dono do banco, discutiu com Lula numa viagem a Cuba sua liquidação.

Nesse processo de liquidação, o Banco Rural, envolvido com o mensalão, teria sido beneficiado. O caso do Mercantil também incrimina Marcos Valério. O empresário esteve 17 vezes no Banco Central entre 2003 e 2005, oito delas sobre o levantamento da liquidação do Mercantil, nas quais se apresentava como representante do Rural. Ao justificar a autorização para que o depoimento de Delúbio fosse dado na Papuda e não na delegacia, o juiz da vara Angelo Oliveira afirmou que isso "minimizaria a exposição e a exploração da imagem do sentenciado".

Na autorização para o depoimento de Valério, o juiz alega apenas preocupação com a "exposição do próprio sistema prisional." Preso há 23 dias para cumprir uma pena de 8 anos e 11 meses de prisão em regime fechado (inicialmente cumprida no semiaberto até a decisão sobre recurso apresentado por sua defesa), Delúbio se recusou a responder as perguntas da PF, lê-las ou mesmo folhear trechos do inquérito.
Polícia tenta ouvir Valério e Delúbio na Papuda sobre desdobramentos de mensalão - Política - Estado de Minas

Seguidores

Na web