Assuntos de Goiás TV

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Mais do mesmo: Novos documentos da Castelo de Areia fazem renascer denúncias contra aliados de Sérgio Cabral



Na ação, batizada de Castelo de Areia, os policiais apreenderam uma série de documentos que, segundo eles, traziam indícios de transferências de recursos para políticos de diversos matizes, em contas no Brasil e no exterior. Entre os citados na papelada estavam nomes de PMDB, PT, PSDB, PR, DEM, PCdoB, PSB e PP. A operação que prometia dinamitar gabinetes em todo o país acabou desmontada no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Sob a alegação de que a ação da PF se baseara numa denúncia anônima, os ministros do STJ suspenderam o processo e anularam as provas recolhidas pela Polícia Federal.

O Ministério Público Federal discordou da decisão e, em agosto de 2012, recorreu ao Supremo Tribunal Federal. Em dezembro do ano passado, a subprocuradora-geral da República Maria das Mercês Aras, que atuou no caso, recebeu um conjunto de documentos que não integravam o processo original da Castelo de Areia. Por considerá-los relevantes, ela remeteu os documentos a Rodrigo Janot, Procurador-Geral da República, que representa o Ministério Público no STF. Empossado em setembro, Janot disse a sua equipe que tem interesse especial na Castelo de Areia.
Leia mais: Novos documentos fazem renascer denúncias contra aliados de Sérgio Cabral - ÉPOCA | Tempo

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Assuntos de Goiás |: Wesley Camargo, Filho do cantor sertanejo Luciano,é preso em Goiânia

Denunciado na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), em Goiânia, por uma tia e uma prima, Wesley Camargo, 26 anos, filho do cantor sertanejo Luciano, da dupla com Zezé di Camargo, foi detido na madrugada desta sexta-feira, 21, acusado de agressão. Ele permanece preso e deverá ser encaminhado para outra unidade. 

 Familiares do rapaz confirmaram que ele teria chegado em casa bastante embriagado após passar a noite de quinta-feira, 20, em uma boate onde havia uma festa. Em seguida, teria discutido com a tia e quebrado objetos. A confusão aconteceu na casa dos avós, Francisco Camargo e Helena, onde Wesley Camargo mora.

A Polícia Militar (PM) foi chamada para intervir e todos foram conduzidos para a Deam. 

A tia e a prima passaram por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e o exame constatou lesões nas vítimas.

Pela manhã, uma jovem que seria companheira do rapaz esteve na Deam, mas não foi confirmado se ela prestou depoimento. Para uma emissora de televisão ela evitou se idenfiticar e defendeu o rapaz, reclamando da tia dele, uma das vítimas.
Leia mais: Filho do cantor sertanejo Luciano é preso em Goiânia - brasil - geral - Estadão

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Kátia Rabello e Joesley Batista, irmão de Júnior Friboi, são indiciados pela Polícia Federal

A Polícia Federal indiciou o controlador do grupo J&F Participações, Joesley Batista, irmão do pré-candidato Júnior Friboi (PMDB), e a ex-presidente do banco Rural Kátia Rabello, condenada pela Ação Penal 470 (mensalão). Eles foram acusados de fazerem empréstimos entre instituições financeiras em que têm participação. As operações, consideradas ilegais, envolveram valores de R$ 160 milhões.

A J&F é uma empresa de investimento que atua no setor de investimento, atendendo diversas empresas, como a JBS, de Júnior Friboi e o Banco Original. A suposta fraude envolvia uma troca de empréstimos, conhecida como “chumbo cruzado”, usada muitas vezes para simular negócios.

A Polícia Federal aponta nas investigações que dois empréstimos foram feitos em datas muito próximas em empresas dos dois grupos (J&F e banco Rural). De acordo com a apuração, em dezembro de 2011, o banco Rural emprestou R$ 80 milhões ao grupo J&F Participações e à empresa Flora Produtos de Higiene e Limpeza, que também recebe investimento da J&F. No mesmo dia em que o empréstimo foi recebido pelas empresas do grupo J&F em contas no banco Rural, o dinheiro foi transferido às contas no banco Original.
Leia mais: Kátia Rabello e Joesley Batista são indiciados pela Polícia Federal - Jornal Opção

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Juiz de Goiás autoriza que jovem curse universidade sem concluir ensino médio

Não é razoável que um aluno do ensino superior tenha sua matrícula na instituição de ensino cancelada, por meio da revogação de liminar, quando ele já assistiu a mais de 20% das aulas necessárias para a graduação.

Este foi o entendimento do juiz substituto Fernando Augusto Chacha de Rezende, da Comarca de São Luiz dos Montes Belos, para confirmar liminar autorizando a inscrição de um estudante no curso de Zootecnia Civil da Universidade Estadual de Goiás. 

Concedida em 2012, a liminar foi necessária porque Gustavo Henrique Manso ainda não havia concluído o ensino médio.

“Faz-se necessária a aplicação da teoria do fato consumado diante das peculiaridades fáticas (matrícula realizada em 2012) e, mesmo, da situação cristalizada que se modificada após concluída mais de 20% do ensino superior (zootecnia civil) poderia ser extremamente danosa não só ao autor como, igualmente, à Universidade, ora, requerida. Aliado a tudo isso, não há que se urdir em qualquer prejuízo a terceiros, pois, o autor foi regularmente aprovado no vestibular”, explicou o juiz. 

Em sua decisão, o juiz observou que, mesmo que o artigo 44 da Lei de Diretrizes e Bases da Educação estabeleça a conclusão do ensino médio como pré-requisito para a graduação, o jovem teve sucesso na disputa, mesmo concorrendo com candidatos já formados no nível em discussão. 

Chacha de Rezende concluiu que impedir que o aluno frequente as aulas um ano após ser beneficiado com a liminar “transpassa qualquer juízo de razoabilidade”. 

Ele manteve o posicionamento da liminar e confirmou a Ação Cautelar em que era pedida autorização para a matrícula do jovem no curso de Zootecnia Civil. 


Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-GO.

Leia mais: ConJur - Juiz de Goiás autoriza que jovem curse universidade sem concluir ensino médio

Assuntos de Goiás |:Policiais civis invadem o Palácio Pedro Ludovico para protestar



Cerca de 100 policiais civis invadiram o Palácio Pedro Ludovico Teixeira, no Centro de Goiânia, na tarde desta terça-feira (18/02) para protestar contra a não votação do projeto de reestruturação dos policiais civis e produtividade.


Leia mais: Mais Goiás | Cidades | Policiais civis invadem o Palácio Pedro Ludovico para protestar

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

Denuncia Grave: Jovens pobres recebem R$ 150 por protesto para fazer vandalismo, diz advogado de indiciados

A denuncia do Advogado põe mais lenha na fogueira dos protestos     
O advogado Jonas Tadeu, que defende Caio Souza e Fábio Raposo, indiciados pela morte do cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, disse que jovens pobres recebem R$ 150 por cada manifestação, para praticar atos de vandalismo. 
De acordo com o advogado, em entrevista à GloboNews, ônibus iam buscar esses rapazes. Jonas Tadeu também afirmou que há partidos políticos envolvidos no esquema de financiamento.

No entanto, o advogado não deu mais detalhes nem disse a fonte da informação, mas acrescentou que há um esquema de pirâmide e que os pagamentos eram feitos por ativistas.

— Quando esses jovens chegam às manifestações, têm outras pessoas que entregam rojões, máscaras e equipamentos.
Leia mais: Jovens pobres recebem R$ 150 por protesto para fazer vandalismo, diz advogado de indiciados - Jornal O Globo

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A Itália não deve se negar a extraditar Pizzolato, apesar do Brasil não ter mandado Battisti para lá

Bandidos: a Itália não deve segurar um mala por lá como fez o Brasil
Conforme a PF, ex-diretor do BB ingressou no território argentino provavelmente no último dia 12 de setembro e depois percorreu 1,3 mil quilômetros até a capital do país, Buenos Aires. As investigações demonstraram que ele embarcou para Barcelona, na Espanha, em um voo da Aerolíneas Argentinas. De lá, informaram os policiais federais, seguiu para a Itália. A PF não sabe de que forma ele chegou ao território italiano.



Falsificação
Segundo a PF, assim que perceberam que o ex-diretor do BB poderia ter fugido do país, as autoridades policiais brasileiras pediram a todos os países da América do Sul se havia registro de entrada de algum homem com nome de Henrique Pizzolato e todos disseram que não.


"Não havia registro de saída de Pizzolato. A América Latina deu informações de que ele não havia ingressado ou deixado o território. Faltava uma peça", disse delegado da PF Rogério Donati.
A peça que faltava para o desenrolar da investigação foi dada pela PF da Itália. "A PF da Itália informou que um irmão de Pizzolato havia pedido no ano anterior status de italiano residente na Itália, e não mais de italiano residente no exterior", relatou Luiz Cravo Dórea, coordenador-geral de Cooperação Internacional da PF.

De acordo com o delegado da PF, Pizzolato usou documento de identidade no nome de Celso Pizzolato, irmão dele, para fazer passaporte, título de eleitor e outros documentos. Celso morreu em 1978, com 24 anos. A falsificação do RG do irmão, que foi o ponto de partida para elaborar os demais documentos, ocorreu em 2007.
"A polícia federal informou que um irmão de Pizzolato havia requerido pedido no ano anterior status de italiano residente na Itália e não mais de italiano residente no exterior. Verificamos que Celso Pizzolato havia morrido há 36 anos. Faleceu em 1978 em um acidente automobilístico na região de Foz do Iguaçu. Ele morreu quando tinha apenas 24 anos de idade", disse o oficial de ligação da política italiana no Brasil.
Extradição
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, afirmou nesta quarta (5) que tomará "todas as providências necessárias" para que o ex-diretor de Marketing do BB seja extraditado da Itália para o Brasil. "Uma vez que há mandado de prisão, comunicaremos ao Supremo da prisão e tomaremos todas as medidas necessárias [para que Pizzolato cumpra a pena no Brasil]", afirmou.
Após a prisão de Henrique Pizzolato vir à tona, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, informou, por meio de nota, que já iniciou as providências para pedir ao Supremo a extradição do ex-diretor de Marketing do BB, condenado no processo do mensalão que estava foragido e foi preso na Itália.
Janot destacou, na nota, que cabe ao procurador-geral provocar o Supremo e o Ministério da Justiça para a formalização do pedido de extradição.
Leia mais:G1 - Lugar por onde Pizzolato fugiu tem fiscalização por amostragem, diz PRF - notícias em Santa Catarina

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Segurança Pública no Brasil: Policiamento é reforçado na Vila Cruzeiro, no Rio, após morte de PM

De acordo com a polícia, o soldado Marcelo Gilliard, baleado na coxa, foi avaliado, medicado, teve quadro clínico estabilizado e será transferido para o Hospital Central da Policia Militar, fora de perigo. Uma mulher, identificada como Elaine Marques, também baleada na cabeça, passou por cirurgia na noite de domingo, e seu estado era grave. O marido dela, Antonio Marcos Travesso, foi medicado e recebeu alta.
A Divisão de Homicídios investiga a morte. Uma perícia foi feita no local e a polícia aguarda a liberação médica das vítimas para que elas possam prestar depoimento. Outras testemunhas também serão ouvidas.

Rotina de ataques a UPPs

O projeto de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), iniciado em 2008 pela Secretaria de Segurança do Rio de Janeiro com o objetivo de devolver a segurança aos moradores da cidade, vem enfrentando uma série de problemas, principalmente após novembro de 2013. De lá para cá, o número de registros de tiroteios e ataque a sedes de UPP nas comunidades passou de 10, como contabilizou o G1, de dezembro e janeiro.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa das UPPs informou que as unidades “não estão em crise”. O Instituto de Segurança Pública (ISP) não divulgou o número de ocorrências nos últimos dois meses.
Leia mais: G1 - Policiamento é reforçado na Vila Cruzeiro, no Rio, após morte de PM - notícias em Rio de Janeiro

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Cineasta Eduardo Coutinho é morto a facadas no Rio de Janeiro - O filho dele é o principal suspeito

O cineasta Eduardo Coutinho, de 80 anos, foi morto a facadas neste domingo (2), em sua casa, na Lagoa, Zona Sul do Rio.
O cineasta e documentarista era um dos mais importantes do Brasil
Segundo a polícia, o filho do documentarista, Daniel Coutinho, 41 anos, é o principal suspeito. 

A mulher do cineasta, Maria das Dores Coutinho, 62 anos, também foi ferida e está internada em estado grave no Hospital Miguel Couto. 

A Divisão de Homicídios da Polícia Civil investiga o caso.

O filho, que supostamente sofre de problemas mentais, também foi levado para o hospital. Segundo a Secretaria Municipal de Saúde, ele passou por cirurgia e está internado na unidade intermediária do hospital. 
Daniel levou duas facadas no abdômen e tem quadro estável.

Segundo policiais do batalhão do Leblon, que foram ao apartamento do cineasta no fim da manhã, o filho teria esfaqueado os pais e depois tentado o suicídio.

A mãe dele levou duas facadas nos seios, três no abdômen e teve uma lesão no fígado. Ela também já passou por cirurgia e seu estado de saúde é grave. O corpo do cineasta foi levado para o Instituto Médico Legal (IML).
Leia mais: G1 - Cineasta Eduardo Coutinho é morto a facadas no Rio - notícias em Rio de Janeiro

sábado, 1 de fevereiro de 2014

Estado de Goiás, Segurança ZERO - Policial federal é morto durante tentativa de assalto em Goiânia

Oto Galvão foi baleado durante tentativa de assalto e não resisitu (Foto: Divulgação/PF)O policial federal Oto Galvão, 50 anos, morreu durante uma tentativa de assalto no Setor Sul, em Goiânia, na noite de quinta-feira (31). 
De acordo com a Polícia Militar (PM), o agente reagiu e também baleou um dos assaltantes, que não resistiu aos ferimentos. Outro criminoso, que participou da ação, conseguiu fugir e é procurado.

Ainda segundo a PM, o policial aguardava a esposa sair de um curso, quando foi abordado pela dupla. Eles queriam levar o carro, mas o agente se negou a entregar. Nesse momento houve troca de tiros.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e ainda tentou reanimar os feridos, mas ambos morreram no local. O caso será investigado pela Delegacia Estadual de Homicídios (DIH).
Leia mais: G1 - Policial federal é morto durante tentativa de assalto em Goiânia - notícias em Goiás

Seguidores

Na web